sábado, 3 de fevereiro de 2018

Edward Hooper -Tables for ladies

Resultado de imagem para Edward Hopper

Rocambole de carne moída e bacon


Tem receitas que existem aos montes na Internet. Rocambole ou bolo de carne moída é uma delas. Pensando bem nem precisa de receita, né?
Para este prato existe a base que é carne moída, temperos e algo para dar a liga. O resto: se com recheio ou não, que tipo de temperos e demais penduricalhos vai do gosto de quem faz e do que tiver à mão. Mas como já escrevi aqui  esse espaço foi criado para que meus filhos pudessem fazer "comidinhas aqui de casa", quando desse vontade e eu não estivesse por perto. Com o passar do tempo vejo visitantes de vários países...brasileiros (talvez!) que de vez em quando lembram da comidinha de "suas" casas e procuram por algo semelhante nos blogs culinários. Espero que matem suas saudades (ou vontades) com as receitas que compartilho.
Essa se junta às milhares que já habitam a Net e dessa vez sem recheio apenas "bastante" bacon e batatas (doce e inglesa) assadas para acompanhar. Sem esquecer da sempre deliciosa saladinha verde que não pode faltar!

Ingredientes

!/2 kg de carne moída de primeira (usei coxão mole)
1 fatia de pão de forma (ou miolo de 01 pão francês) 
1/3 de xícara (chá) de leite
1/2 xícara (chá) de pimentão picadinho (usei um mix de verde, amarelo e vermelho)
1 cebola média picadinha
1 ovo inteiro (gema peneirada)
1/4 xícara (chá) de azeitona verde picada
1 colher (chá) de mostarda
1 colher (chá) de molho inglês ou de soja (opcional)
pimenta do reino a gosto
sal a gosto
1 colher (sopa) de manteiga
orégano a gosto (opcional)
salsinha e cebolinha picadinhas a gosto
noz moscada a gosto (ralada na hora)
aproximadamente 1 xícara (chá) de farinha de rosca fresca
lâminas de bacon o suficiente para a base e cobertura do rocambole
filme plástico para envolver

Acompanhamento (opcional)...

3 batatas inglesas cortadas ao meio
2 batatas doce cortadas em três pedaços
sal o suficiente para passar nas batatas (sem exagero)


Como fiz

Em um recipiente umedeci o pão com o leite e depois espremi bem, para retirar o excesso do leite.
Em uma tigela coloquei a carne, o pão e o ovo já levemente batido. Incorporei bem. Em seguida acrescentei os demais ingredientes, exceto a farinha de rosca que fui adicionando aos poucos até dar o ponto de liga (pode ser que necessite um pouco menos ou um pouco). A farinha de rosca pode ser substituída por farinha de trigo ou mesmo farinha Panko (aquela japonesa e bem granulada).
Coloquei a carne sobre um filme plástico e espalhei, nivelando a superfície até formar um quadrado (nesse momento pode ser adicionado um recheio, se for essa a opção). Com a ajuda do filme plástico fui enrolando a carne como um rocambole. Fechei bem e levei ao freezer por aproximadamente 30 minutos (até ficar um pouco duro, podendo ser manuseado).
Passado esse tempo untei (levemente) uma forma retangular com óleo de milho e forrei com fatias de bacon. Retirei o rocambole do freezer e removi o filme plástico. Coloquei o rocambole sobre o bacon e depois cobri com mais fatias de bacon (tem que ficar totalmente coberto). Coloquei ao redor as batatas descascadas e passadas no sal. Levei ao forno por aproximadamente 40 minutos (depende do forno) sendo que virei as batatas na metade desse tempo. Deixei assar até que o bacon ficasse totalmente assado (e crocante!) e as batatas douradas. Retirei do forno e polvilhei com cheiro verde picado. Aguardei uns 5 minutos para servir.

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Edward Hopper

Resultado de imagem para Edward Hopper

E

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Torta fricasse de frango

Olha a cor dessa massa!
E voltamos às tortas. Dessa vez com inspiração no clássico "frango com creme de milho", que se transforma em torta. Foi baseada nessa receita aqui: http://receitasdeminuto.com, mas com adaptações (muitas).
Bem bom,viu gente? Além de tudo a massa tem uma crocância diferente que é resultado do uso de fubá além do sabor especial conferido pelo queijo ralado.

Ingredientes

Massa
1 xícara (chá) de farinha de trigo
1/2 xícara (chá) de fubá fino (mimoso)
4 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado
100 g de manteiga (usei sem sal)
1 gema (peneirada)
aproximadamente 1 ou 2 colheres (sopa) água (usei gelada)

Creme de milho
1 e 1/2 xícara (chá) de milho fresco (se quiser pode usar 01 lata sem a água)
1 cebola média picadinha
1 colher (sopa) de manteiga
sal e pimenta do reino a gosto
1/2 xícara (chá) de leite
1 colher (sopa) bem cheia de farinha de trigo

Frango
 2 xícaras (chá) de peito de frango cozido e desfiado
2 colheres (sopa) de azeite
2 dentes de alho amassadinhos
1 xícara (chá) de cebola picadinha
1/2 xícara (chá) de tomate bem maduro picadinho (sem pele/sementes)
sal e pimenta do reino a gosto
salsinha e cebolinha picadinhas a gosto
1 folha de louro

Creme
1 caixinha de creme de leite
1/2 xícara (chá) de requeijão cremoso (de copo)
2 ovos inteiros (gemas peneiradas)
sal a gosto

Cobertura
100 g de muçarela ralada (aproximadamente)

E mais...
Manteiga e farinha de trigo para untar a forma
01 clara para pincelar a massa.

Como fiz

Massa
Primeiro peneirei o fubá e a farinha de trigo. Depois coloquei um uma tigela junto com a manteiga gelada e fui apertando com as pontas dos dedos até que a mistura ficasse com a aparência de uma farofa. Juntei o sal, o queijo parmesão ralado (grosso) e a gema. Misturei (sempre com as pontas dos dedos). Fui acrescentando a água (aos poucos) e misturando até que a massa ficasse homogênea e soltando das mãos. Modelei uma bola, envolvi em filme plástico e levei à geladeira por aproximadamente 30 minutos.

Recheio
Creme
Levei a manteiga e a cebola, em uma panela de fundo grosso, em fogo baixo. Esperei a cebola dourar e juntei o milho. Coloquei um pouco de água (1/2 xícara) e deixei secar. Depois disso adicionei o leite, o sal e a farinha de trigo. Esperei engrossar, mexendo sempre. Ficou mais alguns minutos no fogo (até começar à se desprender do fundo da panela). Retirei e coloquei a pimenta do reino (opcional). Reservei.

Frango
Refoguei o alho e a cebola até que ficassem dourados. Acrescentei o tomate picadinho, o louro e o frango já cozido e desfiado. Coloquei um pouco de água (aproximadamente 1 xícara de chá), o sal e a pimenta do reino. Deixei em fogo baixo até ficar bem sequinho (não pode ficar úmido porque encharca a massa) Retirei do fogo, coloquei o tempero verde picado e reservei.

Creme cobertura
Bati todos os ingredientes no liquidificador. Reservei.

Montagem
Distribui a massa, nas laterais e no fundo, em uma forma (22 cm de diâmetro) redonda e de aro removível. Nessa hora tem que ter cuidado para não deixar a massa nem muito grossa nem muito fina (grossa demais fica enjoativa, fina demais não suporta o recheio). Pincelei a massa  toda com a clara do ovo e depois dei pequenos piques com a ponta de um garfo. 
Em seguida coloquei o refogado de frango (sem a folha de louro), espalhei bem. Sobre o frango coloquei o creme de milho, também  nivelando. 
Despejei o creme de ovos, requeijão e creme de leite. Finalizei colocando a muçarela ralada sobre esse creme com um pouco do requeijão cremoso que tinha sobrado (opcional). 
Levei ao forno pré-aquecido (180º C) por aproximadamente 30 minutos (depende do forno). Esperei a massa dourar, o creme ficar consistente e a muçarela gratinar. Devemos lembrar que nessa massa vai fubá (amarelinho)...portanto verificar bem se realmente está assada.





sábado, 27 de janeiro de 2018

Penne com molho de espinafre e nata

É muito bom ter sempre à mão um pacotinho de massa...qualquer massa, né não?
Massa com preparo caseiro é um luxo para de vez em quando: tem que ter tempo, disposição, vontade e boa companhia. 
Existem no mercado massas de boa qualidade, é só procurar e se informar. Foi-se o tempo que comprar massa pronta trazia o risco dela se desmanchar na água. Além de tudo um macarrão sempre salva a gente na hora do aperto seja este causado pela preguiça ou por uma visita inesperada, afinal cabe qualquer coisa para se fazer um molho...é só olhar a despensa e a geladeira. Dessa vez tinha espinafre, nata fresca e parmesão em peça. Oba!!

Ingredientes

250 g de macarrão (usei penne grano duro)
1 colher (sopa) de manteiga
1/2 colher (sopa) de azeite extravirgem
2 xícaras (chá) de nata
1/2 xícara (chá) de cebola micropicadinha
1 1/2 xícara (chá) de espinafre limpo e picadinho
sal a gosto
noz moscada (ralada na hora) a gosto
queijo parmesão (ou tipo) ralado grosso

Como fiz

Derreti,em fogo baixo, a manteiga junto com o azeite e acrescentei a cebola. Deixei refogar até ficar transparente. Coloquei o espinafre e deixei cozinhar até que o líquido liberado pelo vegetal quase secasse. 
Adicionei a nata (se esta for muito espessa coloque um pouquinho de leite) e o sal. Deixei cozinhar,  sempre em fogo baixo, até que a nata adquirisse a coloração creme. Corrigi o sal e já fora do fogo coloquei um pouco de noz moscada (cuidado nessa hora...a noz moscada entra para acrescentar sabor e não para apagar os outros sabores).
Coloquei o molho ainda bem quente sobre o macarrão já cozido e al dente. Polvilhei com o queijo parmesão. Fica muito melhor acompanhado com uma taça de um bom vinho tinto (sec ou demi sec).

quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

Panna Cotta de baunilha e duas caldas

Essa sobremesa não fui que fiz. Na verdade ela foi feita para o Natal, junto com uma mousse de nozes e um bolo Red Velvet (encomendado, tá?). Natal do ano de 2016...rsrsrs. Meu filho, penalizado com minhas atribulações natalinas, se arriscou na cozinha e me ajudou....claro que com as devidas orientações da mamis aqui. E não é que ficou boa? Textura cremosa,delicada e firme, o sabor da baunilha dando o seu toque especial e as caldas com um azedinho que deu frescor ao doce. Foram duas caldas: de frutas vermelhas (morango, mirtilo, amora e framboesa) e outra só de amoras. 
À receita, pois!
   
Ingredientes

Panna Cotta
500 ml de creme de leite fresco
1/2 xícara (chá) de leite integral
1 colher (sopa) de gelatina incolor em pó
2 colheres (sopa) de água fria
1 fava de baunilha
5 colheres (sopa) rasas de açúcar refinado e peneirado

Caldas

De frutas vermelhas
1 xícara (chá) de morangos bem maduros picado
1 xícara (chá) de amoras
1 xícara  (chá) de mirtilos (blueberry)
1 xícara (chá) de framboesas
100 g de açúcar
1/2 xícara de água

1 colher (café) de suco de limão coado

Calda de amoras
250 g de amoras maduras
04 colheres (sopa) de açúcar peneirado
1 colher (café ) de suco de limão (opcional)

Como foi feito

Panna Cotta
Primeiro, em um tigela pequena, foi colocada a gelatina e adicionada a água. Ficou amolecendo por uns 3 minutos. 
Depois foi aberta a fava da baunilha (no sentido do comprimento, use uma faquinha de ponta para isso) e as sementinhas foram retiradas e colocadas no leite, que já estava em uma leiteira própria para ir ao fogo.
Foram adicionados adicionado (na leiteira)  o creme de leite (fresco) e o açúcar (peneirado). Levou-se ao fogo baixo e os ingredientes foram misturados (com um fouet), até o açúcar diluir completamente. Mas sem deixar ferver (quando começar a levantar fervura retirar do fogo). Finalmente juntou-se a gelatina (já amolecida) que foi misturada, até ficar diluída e integrar-se ao líquido. 
Essa mistura foi colocada em recipiente de vidro (pode ser em recipientes individuais ou mesmo em forma de pudim - que deverá ser untada levemente com óleo) que foi coberto com filme plástico e levado à geladeira. Ficou na geladeira por umas 8 horas. Foi feito à tarde para ser servido na ceia ( meia noite). Mas deve ficar, no mínimo, 6 horas na geladeira.

Caldas

Frutas vermelhas
As frutas foram ao fogo, baixo e em panela de fundo grosso, com o açúcar. Ficaram cozinhando (mexendo de vez em quando) até quase virar uma geleia rala. Ao atingir esse ponto retirou-se do fogo e passada em peneira para retirada de sementes. Finalmente colocou-se o suco de limão. A calda foi à geladeira até o momento de servir.

Amora
As amoras foram ao fogo, baixo e em panela de fundo grosso com o açúcar. Foram cozidas (mexendo de vez em quando) até quase virar uma geleia rala. Depois foi retirada do fogo e passada em peneira (amoras têm muiiitasss sementes!). Finalmente colocou-se o limão. Foi levada à geladeira até a hora de servir. É importante que a calda não fique muito espessa, se isso acontecer colocar um pouquinho de água (pode ser até vinho branco!).

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Pão doce

Pão doce é tão gostoso, né? Uma boa padaria faz deliciosos pães doces. Estive visitando minha filha e na cidade onde ela mora tem duas padarias que produzem pães deliciosos. Mas apenas uma tem tantas variedades dessa gostosura na vitrine: fatias húngaras, pães grandes ou pequenos, recheados ou não. Verdadeira tentação!
Infelizmente, onde eu moro, não tem uma padaria assim. Temos cucas deliciosas à venda, mas pão doce tradicional, até tem, mas não com a qualidade que merece.
Então para matar a vontade, que tal fazer um em casa?
Siimmmm...cheiroso, macio, úmido e quentinho. Com manteiga ou sem manteiga. De qualquer jeito é delicioso.

Ingredientes

(medida xícara de chá= 240 ml)

Massa

2 gemas (ovos grandes) peneiradas
2 colheres (sopa) de açúcar
1 colher (sopa) de fermento biológico seco
1 colher (sopa) de manteiga ( a receita pedia margarina)
1 colher (sopa) de óleo de milho
1/2 colher (chá) de sal
1 xícara (chá) de leite morninho
Aproximadamente 500 g de farinha de trigo (pode ser um pouco mais ou menos)

Recheio

2 colheres (sopa) bem cheias de manteiga
2 colheres (sopa) bem cheias de açúcar
coco ralado (em flocos) a gosto

Calda

1 (chá) xícara de leite
7 colheres (sopa) de açúcar
coco ralado a gosto

Para finalizar
1 gema (peneirada) levemente misturada

Como fiz


Primeiroi dissolvi o fermento no leite morninho (cuidado para não ficar quente demais e assim comprometer a fermentação) com 1 colher (sopa) de açúcar. Em uma vasilha grande o suficiente para trabalhar a massa coloquei metade da farinha (250 g). Fiz uma cova no centro e coloquei o sal, a manteiga, o restante do açúcar, o óleo e as gemas. Misturei um pouco e acrescentei o leite fermentado. Mexi vigorosamente, primeiro com uma espátula e depois com as mãos. Fui adicionando o restante da farinha de trigo aos poucos, até que esta ficasse totalmente incorporada. 

Em seguida despejei a massa em uma superfície enfarinhada (no caso foi a mesa da cozinha) e sovei bastante (trabalho forrtee!) até a massa ficar lisa, homogênea e soltando das mãos. Fiz uma bola com a massa, coloquei de volta à vasilha, cobri com filme plástico e deixei descansar (no forno desligado) até dobrar de volume.

Após esse tempo, dei alguns soquinhos na massa e a retirei da vasilha. Novamente modelei outra bola de massa, cobri e deixei descansar por mais 20 minutos.

Depois, com a ajuda de um rolo de macarrão, abri a massa em um retângulo, passei a manteiga em toda a sua superfície (deixei uma borda de 2 cm em cada lado), polvilhei o açúcar e o coco ralado. 

Enrolei como um rocambole e cortei em partes (aproximadamente 4 cm de espessura). Coloquei as partes em forma untada e enfarinhada (redonda), uma próxima à outra. Cobri com pano de prato bem limpo e deixei descansar por mais 30 minutos (até dobrar o volume novamente).
Depois pincelei com a gema batida (levemente) e levei para assar em forno pré -aquecido (180º C) por aproximadamente 30 minutos (depende do forno). Depois de assado retirei do forno e reguei com  a calda.
Como fiz a calda: coloquei todos os ingredientes em uma panela (fundo grosso) e levei ao fogo baixo até ferver. Esperei ficar um pouco morno para utilizar.